domingo, 1 de abril de 2012

Ernesto Reisenhofer

PERSONAGENS DA NOSSA ASTRONOMIA

ERNESTO REISENHOFER
(1907-1978)

*Nelson Travnik

Em nossa série ‘Personagens da nossa Astronomia’, Ernesto Reisenhofer, ocupa um lugar de destaque. Ernesto nasceu em 14/07/1907 e era Engenheiro Mecânico e Chefe de Escritório Técnico da Cia. Siderúrgica Belgo Mineira. Era casado com Stellita Starling Reisenhofer e tinham a mesma idade. Não há referências sobre como ele se iniciou em Astronomia. Sabemos que no dia 1º/08/1956, ele e sua esposa tornaram-se associados do ‘Centro de Estudos Astronômicos “Cesar Lattes”, CEACL, de Minas Gerais, fundado em 04/03/1954, com sede social à Av. Afonso Pena, 867, 15º andar, s/1519, Belo Horizonte - MG. Nas suas fichas de inscrição, nºs 23 e 24, já consta o endereço de sua residência à rua Pouso Alegre, 430, B. Floresta. E é lá que tem inicio na década de 60, a construção do seu "Observatório Astronômico Kappa Crucis", nome derivado do magnífico aglomerado aberto na constelação de Crux (NGC 4755), conhecido como: ‘Caixa de Jóias’, descrito assim por J. Herschell (1792-1871) e distante 7.700 a.l. Não há quem não fique embevecido na contemplação desse conjunto de estrelas coloridas. Nos fundos de sua residência, Ernesto construiu uma cúpola de 4 m de diâmetro, de madeira forrada com chapas galvanizadas e como instrumento importou dos EEUU uma objetiva de 152mm da firma ‘Jagers’, F/15. Ele realizou então a montagem da objetiva em um tubo de fibra de vidro e construiu a montagem equatorial com movimento elétrico em AR e manual em Decl. Com este instrumento realizou intenso trabalho observacional, como por exemplo uma bela foto do cometa Bennet 1969 f em 22/03/1970 e o registro visual e fotográfico do transito do planeta Mercúrio pelo Sol em 09/05/1970, cujo relatório e imagens ele gentilmente me enviou. As atividades do Kappa Crucis tornaram-se uma referência em Belo Horizonte para onde convergiam colegas do Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais, CEAMIG. Não só da capital do Estado mas de outros Estados e até do exterior como é o caso do Astrônomo francês Jean Rosch do Observatório do Pic-du-Midi que veio a Minas a convite de Luiz Muniz Barreto do Observatório Nacional do Rio de Janeiro, para ajudar na escolha do local para instalação do Observatório Astronômico da UFMG; ambos visitaram o Kappa Crucis.



OBSERVATÓRIO KAPPA CRUCIS & OBSERVATÓRIO FLAMMARION

Não sei precisar exatamente quando fui conhecer pela primeira vez o Kappa Crucis. Em 1954 eu havia fundado o Observatório Astronômico Flammarion em Matias Barbosa, cidade próxima a Juiz de Fora - MG e somente na década de 60 soube da existência do Kappa Crucis. Ao visitar o Observatório, fiquei impressionado com suas instalações e muito mais com a pessoa do Ernesto, um verdadeiro ‘gentlemen’ que não mediu esforços para me receber em sua residência. Passamos a nos corresponder e criamos uma forte amizade. Em 1971 ele me disse que estava com vontade de vender a sua luneta ‘Jagers’ pois pretendia instalar em seu lugar o refletor de 200 mm que havia construído. Não perdi tempo, fui a Belo Horizonte e adquiri o instrumento. Foi com ele que realizei minhas melhores observações sistemáticas de Júpiter e particularmente de Marte em 1971 quando então a qualidade da objetiva e do céu permitiram obter uma série de fotografias e desenhos com ótima resolução. Foi possível assim detectar o inicio de uma tempestade de poeira sobre a região de Noachis. O trabalho enviado a Charles F. Capen do Observatório Lowell em Flagstaff - Arizona (EUA), foi muito elogiado. Por volta de 1974, devido a insistência do colega Augusto C. Orrico, fundador do Observatório Antares de Feira de Santana - BA, a luneta ‘Jagers’ foi vendida para aquele Observatório pois o mesmo ia ser inaugurado pelo governador Antonio Carlos Magalhães e não podia sê-lo sem instrumento. Assim, a luneta do Ernesto foi para O Observatório Antares que mais tarde foi vinculado a Universidade Estadual de Feira de Santana, UEFS. No lugar desse instrumento coloquei um telescópio refletor Maksutov Zeiss de 150mm cedido por empréstimo através de convênio com a Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF. Posteriormente Ernesto encerrando as atividades do Kappa Crucis manifestou desejo de vender o seu excelente telescópio de 200mm. Ciente de que o Observatório Betelgeuse de Cachoeira - BA, necessitava de um instrumento, fui intermediário em sua venda. Em 1977, já trabalhando no Observatório Municipal de Campinas - SP, Ernesto com seu admirável espirito altruísta, fez doação ao meu colega Jean Nicolini de um celóstato que ele havia construído ciente de que ele iria prestar (como prestou) excelentes serviços a observação solar. Centenas de pessoas que visitavam o Observatório, tinham também acesso as belas imagens fornecidas pelo celostato instalado em um ‘roll-off’ que recebeu o nome de ‘Pavilhão Solar Ernesto Reisenhofer”. O falecimento do Ernesto e da sua esposa, me entristeceu profundamente. Era um casal muito unido e parece que até combinaram ir juntos ao encontro das belezas do universo que tanto amavam.

*Nelson Travnik é astrônomo dos observatórios municipais de Americana e Piracicaba, SP, e Membro Titular da Sociedade Astronômica da França.

- Referências:

Memória: O Observatório Kappa Crucis, João Ribeiro de Barros
CEAMIG: Acervo Digital de Associados
Documentos diversos: Nelson Travnik

Um comentário:

  1. Mais uma bela história contada pelo Travinik, e tendo o CEAMIG e seus associados no pano de fundo!

    É um prazer fazer parte desta turma e em breve das histórias que aqui serão contadas.

    ResponderExcluir