sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O eclipse do Sol em 03 de novembro de 2013!

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil - AWB

I – Introdução

Em 03 de novembro próximo, teremos a ocorrência do último eclipse do Sol (anular) deste ano, que terá como áreas de visibilidade nações situadas próximo à costa do Oceano Atlântico (norte e Sul) e ainda em regiões localizadas no oceano pacífico próximo ao litoral da Colômbia e oceano indico em região próxima ao mar arábico. Engloba esse fenômeno também, ilhas localizadas ao norte e sul de sua dessas regiões oceânicas cuja de visibilidade parcial estejam dentro dos limites norte e sul. 

II – Região de Visibilidade Global

O conde de sombra conforme podemos visualizar na figura 1, inicia-se no Atlântico Norte próximo ao estado da Flórida nos Estados Unidos, sendo que todas as localidades situadas naquela região poderão vislumbrar o evento ainda na fase do crepúsculo matutino, sendo que para algumas dessas cidades o sol já estará eclipsado no amanhecer.


Continuando sua trajetória, a linha central do cone central de sombra deverá passar ao sul de Cabo Verde atingindo seu instante máximo no oceano às 12:47:36 TU (Universal Time), no sudoeste da Libéria nas seguintes coordenadas (Latitude: 3.4906° N e Longitude: 11.6935° W). Nesse instante, o eixo da sombra da Lua passa mais próximo ao centro da Terra. A duração máxima da totalidade neste ponto é de 1m39.5s, sendo a altura do Sol de 71° e a largura da faixa de visibilidade estimada em 57 quilômetros. 

Passando este ponto, já mais próxima à costa da África sub-saariana, a linha central estará atravessando ainda o oceano entre São Tomé e Príncipe e a ilha de Annobón (ilha e província da Guiné Equatorial), quanto então atinge a costa do Gabão ao norte de Porto Gentil, já dentro dos limites do Parque Nacional Wonga Wongue. A linha central então cruza este país chegando então a costa do Congo e instantes depois chega à fronteira com a República Democrática do Congo, seguindo em direção ao nordeste de Uganda, norte do Quênia e sul da Etiópia (figura 2). Seus últimos minutos então dar-se-á em todo o sul da Etiópia, deixando a superfície da Terra a sudoeste da localidade de Galcaio na Somália.

Ao longo de 3,3 horas, a faixa de sombra viajará aproximadamente 13.600 quilômetros de extensão, abrangendo 0,09 % da superfície da Terra (Espenak, 2008). Assim sendo observadores localizados em grande parte da costa leste norte-americana, América central, norte da América do Sul, sul da Europa, Oriente Médio e África. 

A tabela 1 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações do continente africano: Angola, Argélia, Benin, Burquina Faso, Cabo Verde, Egito, Ilhas Reunião, Gana, Líbia e Marrocos.
Sendo que a tabela 2 complementa a visibilidade daquele continente para as seguintes nações: Maurício, Mauritânia, Moçambique, Nigéria, Quênia, República da África do Sul, Ruanda, Senegal, São Tomé e Príncipe, Tanzânia, Uganda, Tunísia e Zâmbia.

A tabela 3 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações localizadas na América Central e região do Caribe: Barbados, Cayman (Ilhas), Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Honduras, Jamaica, Nicarágua, São Cristóvão e Nevís, Trinidad e Tobago.

A tabela 4 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações localizadas na América do Norte: Bermudas (Ilhas), Canadá e Estados Unidos.

A tabela 5 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações localizadas na América do Sul: Brasil, Colômbia, Equador e Venezuela.

A tabela 6 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações localizadas na Ásia: Irã, Iraque, Israel, Kuwait, Omã, Arábia Saudita e Iêmen.

A tabela 7 apresenta as circunstâncias gerais de visibilidade para as seguintes nações localizadas na Europa: Azerbaijão, Albânia, Andorra, Chipre, Espanha, França, Geórgia e Grécia.

Sendo que a tabela 8 complementa a visibilidade na região européia nas seguintes nações: Itália, Malta, Portugal e Turquia. 

III - O Eclipse no Brasil

Dentro do limite sul do seu cone de sombra, a faixa de visibilidade deste eclipse adentrará o território brasileiro próximo ao Monte Caburaí na Serra do Navio (RR) e na região conhecida como "Cabeça do Cachorro" no extremo noroeste do Brasil, estado do Amazonas, em região de fronteira com a Colômbia (figura 3).
Assim sendo as tabelas abaixo, apresentam às circunstâncias locais do 1º contato, instante máximo e último contato para as regiões norte (tabela 9), nordeste (tabela 10), centro oeste (tabela 11) e extremo norte do estado de Minas Gerais (tabela 12).

O maior percentual de disco solar encoberto dar-se-á na Ilha de Fernando de Noronha - PE no litoral do nordeste brasileiro conforme vislumbrado na tabela 10, onde o disco solar estará numa altura de 059.9° de altura em relação ao horizonte e com 114° de azimute (figura 4).

IV - Conclusão

A ocorrência deste eclipse certamente deixará o pessoal do “Grupo de Astronomia Noronha nas Estrelas” (http://noronhanasestrelasblog.blogspot.com.br/) e também da ANRA - Associação Norte-riograndense de Astronomia (http://www.anra.com.br) numa situação privilegiada dentro no que concerne a América do Sul e certamente eles darão razão ao astrônomo norte-americano, o conhecido “caçador de eclipses” Jay Myron Pasachoff quando compara a diferença entre observar um eclipse solar parcial e um total, à sensação é de assistirmos uma ópera ou ficar do lado de fora do teatro; não devemos pensar que Pasachoff está exagerando, entretanto o registro científico de qualquer evento astronômico, quando compartilhado é extremamente gratificante, visto que além de observador, passamos também a condição de participantes do fenômeno.

Boas Observações!

Referências:

- Mourão, Ronaldo Rogério de Freitas - Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica, Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro (RJ) - 1987, 914 P.

-  Campos, Antônio Rosa - Almanaque Astronômico Brasileiro 2013, Ed. CEAMIG (Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais), Belo Horizonte (MG) - 2012, 100P.

- Astronomical Software Occult v4.1.0.11 (David Herald - IOTA) - acesso em 27/11/2012.



- http://noronhanasestrelasblog.blogspot.com.br/ - Acesso em 06 outubro 2013.

- http://www.anra.com.br/ - Acesso em 31 outubro 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário