sábado, 1 de março de 2014

O 60° Aniversário do CEAMIG

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil – AWB

Amas. Um novo sol apontou no horizonte,
E ofuscou-te a pupila e iluminou-te a fronte...

I - Introdução

Os versos acima mencionados do poema “sobre as bodas de um sexagenário” de Olavo Bilac um dos mais importantes poetas parnasianos ilustram de forma magnífica a efeméride de 04 de março de 1954, data então marcada pela fundação do CEACLMG, Centro de Estudos Astronômicos César Lattes de Minas Gerais, nome esse em homenagem ao físico brasileiro Cesare Mansueto Giulio Lattes (1924 – 2005), conhecido César Lattes, que no início dos anos 70 do século último, teve seu nome alterado para Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais, o atual CEAMIG. Desta forma “en passant” algumas reminiscências são importantes nesta recordação.

II - Antecedentes 

O antecedente dessa entidade remonta ao estado de Minas Gerais do ano de 1947, quando a ocorrência do eclipse total do Sol de 20 de maio, tornou a ser a grande chance de nova comprovação do efeito Einstein (O desvio da luz ao passar por um campo gravitacional) o que já havia sido comprovado no Brasil, na cidade de Sobral - CE e também na África em 1919 pelos astrônomos Andrew Crommelin (Sobral – CE, Brasil) e Arthur Eddington (Ilha do Príncipe, África).

Desta feita e após o término dos conflitos que nortearam a 2ª guerra mundial (1939 – 1945), seria a oportunidade ideal do ponto de vista logístico para que missões de diversas partes do mundo retornassem ao Brasil, sendo que o cone de sombra percorrendo grande extensão da América do Sul fosse escolhidas Araxá e Bocaiuva em Minas Gerais as localidades onde concentraram diversas equipes observacionais, dentre eles: George A. Van Biesbroeck (1880 – 1974), astrônomo do Observatório de Yerkes (EUA), apresentado na figura 01. Surge então após esse eclipse, a ideia da criação de um grupo de astrônomos amadores durante um almoço de confraternização no ICG (Iate Golf Clube de Minas Gerais) oferecido pelo prefeito de Belo Horizonte João Franzen de Lima em 01 junho, mas por força de destino desconhecida, aquela ideia ficou adormecida para frutificar em 1954. 

III – A Fundação

A capital do estado de Minas Gerais ouviu surgir no início da década de 50 pelas ondas da rádio Mineira o programa “Os Mistérios do Firmamento”, que dirigido e apresentado por Heros Campos Jardim, sob o pseudônimo de Heros Eduardo, era transmitido às terças e quintas feiras às 21:30 horas; aos contatos de alguns jovens entusiastas de astronomia (dentre eles Marcos Magalhães Rubinger) e pessoas que foram voluntárias na assessoria das diversas comissões do eclipse de 1947 (dentre elas, Maria da Conceição de Carvalho Lanna Wykrota e seu esposo Henrique Wykrota), concretizou-se a fundação do CEACLMG, ocorrida na quinta-feira (pós carnaval) de 04 de março de 1954.

IV – Os Mistérios na TV e o Meteorito de Ibitira

Palestras em escolas, atividades observacionais, contribuições em formas de doação de livros sobre astronomia, além de um apoio direto dos participantes do recém criado “Centro de Estudos Astronômicos” nos programas Mistérios do Firmamento, fizeram com que uma emissora de televisão local (TV Itacolomi), adaptasse e produzir os programas para a Televisão. Isso fez com que a salas de reunião superlotassem e era necessária já naquela época a busca de uma sede. 

Entretanto no domingo de 30 de junho de 1957, um brilhante bólido cortou vasta região do estado de Minas Gerais e essa ocorrência foi presenciada por diversas pessoas e algumas ligadas a astronomia, por extensão ao “César Lattes”. Estudos de trajetória foram realizados chegando-se a conclusão que um possível fragmento de meteorito deveria encontrar-se na região central do estado. Mais algumas semanas foi localizado no distrito de Ibitira (município de Martinho Campos – MG), um fragmento de 2.500 gramas (figura 02), encontrado por um lavrador local.

V – 1960 a 1970 – Uma década de muito trabalho

Entre 15 e 24 de agosto de 1961 ocorreu na cidade de Berkeley, na Califórnia a XI Assembléia Geral da IAU (União Astronômica Internacional), com ela marcou-se o reingresso do Brasil a IAU e dentre a delegação de astrônomos brasileiros encontra-se Luiz Muniz Barreto do Observatório Nacional e Abrahão de Moraes do IAG-USP (Figura 03), aquela foi uma excelente oportunidade de esboçar-se uma perspectiva para a astronomia e astrofísica no Brasil.

Desse fato, começou a antever-se a necessidade de um observatório destinado a formação de jovens de pessoal em física e também em astrofísica, mas quem iria viabilizar os recursos humanos necessários à escolha de sítio e muita das vezes o empenho junto a política regional foram os associados(as) do “Centro de Estudos Astronômicos” e também da SEA (Sociedade de Estudos Astronômicos), criada nos anos 60 por um grupo de estudantes da UFMG, com o objetivo de aprofundar seus conhecimentos de astronomia e física) começa aí então os trabalhos de culminaram com a inauguração do Observatório da Serra da Piedade, ligado a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) (figura 04) e com este marco também nasce o sonho do CEAMIG em possuir um Observatório destinado a realização de trabalhos observacionais de seus associados. 

VI – Um astropoint  chamado ASTROTEC

Construído e inaugurado o Observatório Astronômico da Serra da Piedade, ocorreu um esvaziamento das atividades nos grupos que realizavam as atividades de astronomia em nível amador na região metropolitana de Belo Horizonte. O presidente do Centro de Astronomia César Lattes (Dr. Henrique Wykrota), fazendo gestões junto ao grupo remanescente da SEA (Sociedade de Estudos Astronômicos) dão início a profícuo período onde o Centro de Astronomia passou a ser denominado CEAMIG. Uma nova diretoria se fez e a coordenação de Bernardo Riedel (já ligado aos acontecimentos desde sua fundação em 04/03/1954), a frente desse grupo tornou-se antológica. Tem início naquela década uma época inteiramente dedicada à formação de pessoal; pois os encontros e filiações de novos associados aconteciam numa livraria dirigida pelo Professor Bernardo Riedel chamada de ASTROTEC – Ciência e Técnica (uma lembrança dos livros que eram adquiridos era os carimbos em suas contra-capas conforme vemos na figura 5); ela foi o maior referencial de encontro de astrônomos amadores de Belo Horizonte por quase uma década. Não que o CEAMIG realizasse suas atividades somente naquele espaço, mas pelo carisma pessoal que muitos de nós temos pelo Professor Bernardo. Nessa época então nosso Centro de Estudos assiste a filiação de muitos que ainda hoje estão ativos e presentes as atuais iniciativas do CEAMIG.

VII – O Observatório Wykrota

Os esforços realizados pelos associados do CEAMIG com o tempo viriam a frutificar na década seguinte, quando então em 1983 o celeiro de astrônomos amadores forjados nas reuniões da ASTROTEC e Museu de História Natural da UFMG já dava mostras de sua capacidade; O grupo de abnegados e persistentes associados então daquela época, liderados pelo Cristóvão Jacques Lage de Faria iniciaram a construção do observatório do CEAMIG na Serra da Piedade que começaria a tornar-se realidade, muito embora sua arrancada final e posterior conclusão somente dar-se-ia em 1998. Mas o período foi extremamente benéfico para todos, pois a implantação do Boletim do CEAMIG foi o veículo informador dessas atividades e funcionou todo aquele período também como um elo de comunicação entre o CEAMIG e as demais entidades de astronomia existentes no Brasil. 

Embora as paralisações de obras e as atividades externas do CEAMIG ficassem freqüentes escasseadas, foi possível a realização de algum trabalho observacional e ainda a realização de uma viagem até a cidade de Foz do Iguaçu-PR de alguns associados (as) para a realização dos registros observacional do Eclipse Total do Sol de 04/11/1994. Eis que após esse eclipse e com o apoio sempre freqüente de seus participantes, o CEAMIG supera enormes desafios surgindo então à oportunidade de um convênio de cooperação científica com o Colégio Santo Agostinho, para a operacionalidade do Observatório Oswaldo Nery. A eleição e posse de uma nova diretoria fizeram com que o “Observatório Wykrota” [859], recebesse sua primeira luz em 25/04/1998.

VIII –  Uma lapidação incessante

Construído e inaugurado o Observatório Wykrota as pesquisas realizadas não tardariam em apresentar resultados positivos, dessa forma (dentre outros) foram descobertos os asteroides: 91287 Simon-Garfunkel; 29845 Wykrota; 33478 Deniselivon e o 38245 Marcospontes (figura 6) e ainda a contribuição juntamente com os observadores da REA (Rede de Astronomia Observacional) no Programa BRASS - Brasilian Supernovae Search, realizado entre 2004 e 2006 resultaram na descoberta de 12 Supernovas, sendo que destas, 10 foram descobertas no Observatório CEAMIG-REA [I77] localizado em Belo Horizonte.


Importante mencionar que além dessas realizações, que parte da vontade e capacidade (sempre) inovadora de seus associados ainda na última década, o CEAMIG deu início a construção de um telescópio de grande abertura (635” mm – f/D=4 tipo newtoniano com  tubo aberto (figura 7), sob uma montagem equatorial em split-ring, num projeto denominado ATLAS (Amateur Telescope Laboratory for Astronomical Science), destinado principalmente a busca de supernovas, asteróides, NEO's (Near-Earth Objects), TNO's ((Trans-Neptunian objects). Através das atividades do Grupo de Automação de Telescópios do CEAMIG (destinado ao desenvolvendo sistemas de acionamento computadorizado para montagens equatoriais), o acionamento deste equipamento mesmo em fase de testes, já é uma realidade devendo o apresentar uma performance observacional já no segundo trimestre de 2014, entregando o telescópio para os integrantes do GAI (Grupo de Aquisição de Imagens) do CEAMIG que foi idealizado para aquisição e tratamento de imagens digitais também com esse instrumento. 


Quando faço a comparação dessas atividades, a lapidação incessante de um diamante e que temos a convicção de estar em refinada sintonia como os objetivos do grupo para os próximos anos, a descoberta do cometa C/2014 A4 SONEAR (Southern Observatory for Near Earth Asteroids Research) na noite de 11-12 de janeiro último, realizada por observadores vinculados ao CEAMIG deixa de forma indelével essa certeza. Dessa forma neste ano de seu sexagenário, seus associados(as), membros da diretoria e conselho administrativo buscando sempre cultivar os ideais de seus decanos, preparam já para início na 2ª quinzena de março um Curso de Iniciação de Astronomia e Astrofísica, com o objetivo de formar pessoal e futuros continuadores da ciência astronômica no estado de Minas Gerais. Afinal de contas e dentro da licença poética: “Os diamantes são eternos”.   

Referências:

http://www.ceamig.org.br/ - Acesso em 18/02/2014.

http://ssd.jpl.nasa.gov/sbdb.cgi#top – Acesso em 18/02/2014.




Nenhum comentário:

Postar um comentário