quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Ronaldo Rogério de Freitas Mourão (1935-2014)

Desnecessário enumerar suas pesquisas, livros, artigos e palestras. Chamava-o de “O Flammarion Brasileiro” comparando-o ao Mestre de Juvisy.

Como escritor  estimulou músicos, poetas e escritores. Entre músicos vale citar Almeida Prado em suas “Cartas Celestes”, Maria Emilia Mendonça em suas “Viagens Interplanetárias” , Carlos Drumond de Andrade em seu poema “O Céu” e Fernando Py no “Anti-Universo”.

Mourão como um cometa no Firmamento deixou um rastro luminoso que se eternizará em todos que ligam sua vida  as belezas e mistérios do Universo.

Seu desenlace no dia 25 de junho de 2014, deixa um enorme vazio, principalmente para os astrônomos amadores a quem sempre valorizou e atendia com denotada atenção.

Ele agora é uma estrela, parte de uma constelação onde pontificam colegas, amigos e luminares da ciência do céu, os quais se espelhou para trilhar uma trajetória de sucesso e deixar um legado de inestimável valor para a posteridade.

A melhor forma de aliviarmos a saudade que estamos sentindo é recordar os fatos , momentos  e os ensinamentos de sua vida que nos legou através dos seus livros, palestras e contatos pessoais.
Até breve querido mestre e amigo !

Nelson  Travnik - Diretor do Observatório Astronômico de Piracicaba (SP). Membro Titular da Sociedade Astronômica da França

Nenhum comentário:

Postar um comentário